dsc00015

A auditoria ambiental deve ser entendida como um conjunto de exames aplicados a elementos documentais e instalações físicas, relacionados a uma situação específica, realizado por especialista na matéria, servindo dentre outras ações a conceder uma visão sob o ponto de vista ambiental, particularmente sob o prisma da ISO-14.001 da organização ou corporação em estudo.

Esta modalidade de auditoria auxilia no entendimento das questões ambientais que envolvem os processos ou procedimentos das organizações, visando o impedimento de ações voluntárias ou involuntárias que promovam qualquer tipo de degradação ambiental ou alterações no nível de desempenho das medidas preventivas e corretivas implantadas.

A auditoria aqui apresentada é entendida como um processo científico, baseado em clara metodologia constituindo um processo objetivo e sistemático sobre a questão abordada.

Tipos de Auditoria Ambiental:

  • Auditoria Ambiental Preliminar: empregada quando o cliente ou então o auditado não tem uma clara visão de seus próprios objetivos, ou quando o setor de planejamento da organização exige uma rápida visão do auditado, sendo realizada dentro do nível de rigor expedito, servindo, também, para balizar o Sistema de Gestão Ambiental (SGA).
  • Auditoria de Passivo Ambiental: empregada normalmente pelas corporações nos processos de fusões ou expansões de seus investimentos, sendo realizada com maior nível de rigor, indicando de forma detalhada os potenciais de contaminação ambiental presentes, esclarecendo sobre as questões do direito ambiental.
  • Auditoria Voluntária de Conformidade Legal: objetiva avaliar se os procedimentos usuais presentes na cultura da organização auditada, sobre seus processos de transformação atende as especificações ditadas pelo Sistema de Gestão Ambiental (SGA), documentalmente estabelecido ditando através de relatório numérico circunstanciado a ocorrência afirmativa ou não da necessária condição de aderência entre o proposto ou recomendado e o verificado. Tem como principal característica a atuação preventiva frente a alta direção da corporação sobre o nível das reais condições de obediência de seus procedimentos frente à legislação ambiental.
  • Auditoria de Desempenho Ambiental: trata da reavaliação do desempenho da organização auditada com base no Sistema de Gestão Ambiental vigente, merecendo grande destaque na atualidade em razão das severas restrições ambientais e do exercício fiscalizador da sociedade civil sobre a questão, devendo assim ser entendida como uma auditoria aplicada à manutenção do SGA.

Principais aplicações:

  • Revisão ambiental:
  • Física e Técnica: estimativa dos impactos ambientais, avaliando-se a tecnologia, processos e produtos finais envolvendo toda a planta industrial;
  • Legal: verificação do nível de adequação do cliente ou auditado aos mínimos parâmetros legais, identificando as áreas potencialmente sujeitas a sanções administrativas e proposituras judiciais;
  • Direção: compreende a avaliação do sistema de gestão ambiental (SGA) do cliente ou do auditado no que se refere a redução de potenciais ou evidentes danos ao meio ambiente, e do grau de conscientização dos integrantes da organização e do nível de coordenação da mesma.

Inventário de Efeitos Ambientais:

  • Revisão histórica da organização;
  • Temas ambientais relevantes à organização no que se refere ao seu impacto sobre ar, água, solo e demais efeitos como odores, ruído ou degradação paisagística;
  • Gestão de resíduos, reciclagem e destinação final;
  • Gestão de insumos e forma de armazenamento;
  • Ciclo da água na planta industrial;
  • Fatores ligados à ecologia ou perturbações paisagísticas;
  • Transportes e logística empregados;
  • Desenho de produtos, planejamento e modelo de gestão. Ciclo de vida do produto.
  • Prevenção de acidentes, ação de contaminação gradual, súbita, inesperada e imprevisível.
  • Planos de emergência:
  • Avaliação de riscos – responsabilidade legal;
  • Revisão de práticas e procedimentos;
  • Informação ao pessoal, instruções e definições de responsabilidades coletivas e individuais;
  • Relações com clientes, fornecedores, comunidade e público em geral. Imagem da corporação;
  • Sugestões para o desenvolvimento de uma política ambiental;
  • Recomendações para a implementação de um Sistema de Gestão Ambiental (SGA).

Relatório de auditoria:

É um relatório contendo alguns dos elementos adiante relacionados ou todos eles, dependendo do acordo efetuado com o cliente e a equipe de auditoria.

Alcance e objetivo da auditoria, incluindo a identificação clara e expressa da organização, função ou setor auditado;

Detalhamento do plano de auditoria e detalhamento da equipe de auditoria, dos representantes dos auditados e fixação de calendário;

Identificação da norma legal ou do modelo que norteará a auditoria;

Resultados da auditoria e identificação de não conformidades;

Julgamento da equipe de auditoria acerca das práticas desenvolvidas pelo cliente ou auditado;

Comentários e sugestões que possam elevar o nível de conformidade do auditado e consequente diminuição dos impactos ambientais.

Vantagens:

  • Preparo inicial de uma corporação ou organização para vistoria a ser implementada por órgão ambiental oficial;
  • Avaliação do padrão de atendimento aos requisitos legais vigentes e obediência aos condicionantes apontados pelo licenciamento ambiental;
  • Identificação de potenciais perdas incorridas durante o processo produtivo, otimização de processos, reciclagem;
  • Indicar a confiabilidade das informações ambientais levantadas;
  • Melhora no nível de desempenho das negociações junto a seguradores;
  • Viabilização de linhas de crédito;
  • Otimização das relações com parceiros e fornecedores;
  • Clara identificação dos passivos ambientais, cujo conhecimento é extremamente pertinente em processos de fusões ou aquisições corporativas.

Normas relacionadas:

  • ISO 14.010: Diretrizes para Auditoria Ambiental Princípios Gerais para Auditoria Ambiental;
  • ISO 14.011/1: Diretrizes para Auditoria Ambiental Procedimentos de Auditoria – Parte 1: Auditoria de Sistemas de Gerenciamento Ambiental;
  • ISO 14.012: Diretrizes para Auditoria Ambiental. Critério de Qualificação para Auditores Ambientais.

Definições:

Conclusão de Auditoria: julgamento ou opinião expressa por um auditor sobre o objeto da auditoria, baseada no raciocínio que o auditor aplicou para as constatações de auditoria.

Critério de Auditoria:

Políticas, praticadas, procedimentos ou requerimentos contra os quais o auditor compara as evidências coligadas sobre a matéria objeto da auditoria;

  • Nota 1: o critério inclui, mas  não está  limitado às  normas, diretrizes, objetivos, requerimentos específicos da organização, além dos requisitos legais e regulamentares.

Constatações de Auditoria:

Resultado da avaliação das evidências coletadas pela Auditoria, comparadas com o critério de auditoria acordado;

  • Nota 2: as constatações fornecem a base para o relatório de auditoria;

Equipe de Auditoria: grupo de auditores, ou um único auditor, designado para realizar determinada auditoria. A equipe poderá incluir especialistas técnicos e auditores em fase de treinamento. Um dos auditores da equipe terá função de auditor líder;

Auditado: a organização a ser auditada;

Auditor: indivíduo que realiza a auditoria ambiental, ou parte dela, que atende aos critérios especificados na norma ISO 14012;

Cliente: a organização que contrata a auditoria. O cliente poderá ser o auditado ou qualquer outra organização que tenha direito contratual ou regulamentar de comissionar uma auditoria;

Aspectos Ambientais: componentes das atividades, produtos e serviços de uma organização, que podem interagir com o meio ambiente;

Auditoria Ambiental: processo de verificação e documentação para, objetivamente, obter e avaliar evidências que determinam aspectos ambientais especificados das atividades, eventos, condições e sistemas de gerenciamento, ou as informações a eles relacionadas, que apresentam conformidade ao critério de auditoria, comunicando-se os resultados deste processo ao cliente.

Descrição das atividades:

Desenvolvimento da Auditoria Ambiental:

Preparação da auditoria (ou pré-auditoria) – consiste na visão preliminar da questão e ocorre antes da aprovação formal da proposta comercial;

Elaboração do plano de auditoria ou plano de trabalho, estabelecido nas informações preliminares levantadas no local dos exames e na legislação vigente;

Definição pelo cliente ou auditado dos objetivos e alcance da auditoria, devendo o auditor fornecer apoio técnico em:

Na identificação da organização ou unidade auditada;

Na localização geográfica;

No período histórico a ser auditado;

No objeto da auditoria – atividades, produtos e/ou serviços;

Sobre temas ambientais específicos, como resíduos, efluentes, atendimento a emergências, etc.

Seleção da equipe de auditoria (auditor líder e auditores juniores);

Definição do plano de auditoria, incluindo a distribuição das funções do plano de auditoria;

Previsão das diligências ao local – estimativa de tempo gasto;

Aprovação pelo cliente do plano de auditoria, integrado pelos quesitos formulados pelo auditor contratado;

Agendamento prévio do local, dia, hora e estimativa de tempo demandado para a implementação da auditoria, destinando-se geralmente o primeiro dia a análise documental e o restante às diligências de campo;

Reconhecimento documentado das conformidades e não conformidades da planta diligenciada;

Discussão dos resultados – Preparação do Relatório de Auditoria;

Preparação do relatório final e julgamento (conformidade ou não conformidade);

Aceitação do Relatório de Auditoria pelo cliente – Arquivamento do processo.

Recursos destinados a auditoria:

Recursos financeiros para pagar despesas;

Transporte da equipe auditora para a unidade auditada;

Equipamentos de segurança para transito na área auditada;

Material para registro das constatações e elaboração do relatório, seja em papel ou em meio eletrônico;

Equipamentos de comunicação, quando necessário;

Recursos humanos.

mybannermaker_banner